Sétima arte

Medianeras

medianeras-1019Medianera é a parte lateral de concreto de um edifício, sem acesso a janelas, ou pelo menos não legalmente. Parte muito utilizada para anúncios publicitários, privando o morador do contato com a cidade daquela perspectiva.
Buenos Aires, como em qualquer grande metrópole é revestida de edificações. Chamando atenção por seu contraste difuso, de planejamento urbanístico desordenado, evidenciado pela competente fotografia de Leandro Martínez.  Seja contrapondo estilos arquitetônicos, seja o desequilíbrio angular e sua elevação estrutural, rompendo com qualquer critério. Exclusivamente com o intuito de se fazer morar e nada mais, ignorando assim suas belezas naturais, já que os grandes arranha-céus da cidade os dão as costas.
O maior diálogo existente no filme é com as fibras óticas, que se cruzam em demasia, tapando o céu e ligando as pessoas ao mundo da virtualidade. Internet, de válvula de escape à refúgio do mundo contemporâneo. Há quanto tempo se tornou essencial para as nossas vidas?  Eu mesma não sei dizer. A evolução no mercado tecnológico é evidentemente a que mais cresce mundialmente, tão rentável que ninguém se imagina sem tal ferramenta.
Gustavo Taretto em seu primeiro longa interliga a cidade à vida virtual para nos apresentar dois personagens (Martin e Mariana), que mesmo sendo praticamente vizinhos, não se encontram. O que os aproxima é ao mesmo tempo o que os separa. Eles são o reflexo do que a cidade se tornou: caótica e apática. Sofrem de fobia social, ocasionada por relacionamentos frustrados e se refugiam em suas caixas de sapatos, vivendo uma vida solitária.
Medianeras1
Martin passou 2 anos sem nenhum contato com o mundo real, usufruindo dos recursos que a internet proporciona. Mariana ,recém-solteira, voltou ao seu antigo apartamento tentando refazer a vida e se deixando abater por lamúrias do passado. Enquanto ele tenta reagir e encarar o mundo com outros olhos, ela se afunda em novas frustrações, vivendo mecanicamente.
Apesar de a solidão ser um tema que muitas vezes dialoga com a depressão, o filme tem uma dose de humor revigorante. Esmiúça um assunto tão atual, para o digerirmos mais prazerosamente possível. Os relacionamentos humanos estão cada vez mais fragilizados, a tecnologia que nos conecta com o mundo nos distancia da vivência de sentimentos compartilhados, do ritmo de acontecimentos,tornando-nos peças de tabuleiros.
Tudo conspira para que fiquemos em nossa zona de conforto, as facilidades são inúmeras. Como se adequar à nova era?
Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual (Medianeras, Argentina, 2011). Direção: Gustavo Taretto. Roteiro: Gustavo Taretto. Gênero: Drama. Elenco: Pilar López de Ayala, Javier Drolas, Inés Efron, Carla Peterson, Rafael Ferro, Adrián Navarro, Romina Paula.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s